Segundo dados da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), a ansiedade acomete cerca de 300 milhões de pessoas em todo o mundo. E, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil está no topo da lista.
A ansiedade é caracterizada como um sentimento de inquietude e de preocupação excessiva. Em geral, aparece em situações normais ou que não são ameaçadoras.

O sentimento é uma resposta emocional e física natural a situações percebidas como ameaçadoras, desafiadoras ou estressantes. É uma parte normal da experiência humana e tem função evolutiva importante, preparando o organismo para lidar com os perigos iminentes.

No entanto, quando a ansiedade se torna excessiva, persistente e interfere na vida cotidiana, ela pode se transformar em um transtorno de ansiedade. “Há situações que é comum se sentir ansioso ou nervoso, mas quando esse sentimento começa a controlar o dia a dia e causar problemas ao bem-estar emocional e físico, é hora de procurar ajuda especializada”, explica o psicólogo André Carneiro, especialista em Terapia Cognitiva Comportamental (TCC).

Para controlar os sintomas da ansiedade, o psicólogo André Carneiro elenca 5 técnicas fundamentais:

1 – Atenção à respiração:
Uma das principais formas de acalma-se durante uma crise de ansiedade é por meio da respiração correta: a diafragmática, que é profunda e consiste em inspirar pelo nariz e soltar o ar pela boca. “A respiração auxilia no relaxamento corporal e ajuda a acalmar os pensamentos. Com isso, por meio da respiração é possível sair da resposta de luta ou fuga, vinda do sistema nervoso simpático, para a postura relaxada, de origem do sistema nervoso parassimpático”, esclarece o psicólogo André Carneiro.

2 – Prática de atividades físicas:
Exercícios físicos são capazes de combater diversos males, como ansiedade, depressão e estresse. “A prática de atividades físicas diminui, de forma significativa, os hormônios que desencadeiam o estresse, como o cortisol, por exemplo. Sem falar na liberação de endorfina e outras substâncias que auxiliam na melhora do humor”, explica o especialista em Terapia Cognitiva Comportamental, André Carneiro.

3- Redução do consumo de cafeína:
Além do café; chás, chocolates e bebidas energéticas são ricos em cafeína, substância estimulante e com alto potencial de aumentar as crises de ansiedade. Assim, o indicado é reduzir bastante o consumo destes alimentos e bebidas, principalmente à noite para não atrapalhar o sono. “O limite para o consumo de quantidade de cafeína pode variar de pessoa para pessoa. O ideal é observar como o corpo funciona ao ingerir alimentos com alto teor de cafeína. Mas, normalmente, o ideal é baixar o consumo e ficar atento aos horários em que são consumidos”, orienta o psicólogo André Carneiro.

4 – Adeus à procrastinação:
A procrastinação pode se tornar um péssimo hábito, tanto para obtenção de resultados, sejam em quaisquer áreas da vida, como para a saúde mental. “O hábito de procrastinar, muito geralmente, provoca estresse e desencadeia crises de ansiedade. Sendo assim, o ideal é ter organização para desempenhar as atividades do dia a dia”, orienta André Carneiro, psicólogo especialista em TCC.

5 – Tratamento médico e psicológico:
Na maioria dos casos, a ansiedade não é resolvida sozinha e nem de forma rápida – sem mudanças de pensamentos e atitudes. Para que os danos da ansiedade sejam menores e mais fáceis de contornar, quanto mais cedo houver ajuda especializada, melhor.

“Somente o profissional especializado poderá compreender os gatilhos que levam as crises de ansiedade e trabalhar para que existam menos impactos negativos possíveis na vida e no cotidiano de alguém”, explica o psicólogo André Carneiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo