Após a notícia de que o ex-marido de Naiara Azevedo foi indiciado pelos crimes de lesão corporal e violência psicológica contra a mulher, a assessoria da artista se manifestou através de nota enviada à imprensa nesta segunda-feira (4).

“Após tomar ciência da notícia, Naiara Azevedo se sente aliviada com o resultado das investigações, após anos de muito sofrimento, permanecendo confiante de que as demais autoridades desempenharão o seu papel da forma mais justa possível”, diz um trecho da nota.

Em razão do sigilo aplicado ao caso, a assessoria afirma ainda que nenhuma informação será prestada sobre o assunto.

A Delegacia Estadual de Atendimento Especializado à Mulher (DEAEM) de Goiânia-GO indiciou, na última semana, o ex-cônjuge da cantora Naiara Azevedo, Raphael Alves Cabral, pela prática dos crimes de ameaça e lesão corporal no âmbito doméstico, após a colheita dos depoimentos e a realização de diligências para averiguação dos fatos. O inquérito policial, que tramita em segredo de justiça, segue agora para análise do Ministério Público.

A informação foi dada primeiramente pelo colunista Gabriel Perline, do iG, e confirmada pela Polícia Civil de Goiás à reportagem do DIA nesta segunda-feira (4). Segundo o colunista, vídeos, fotos, depoimentos de testemunhas, além do exame de corpo de delito, comprovaram que ela foi vítima de violência.

“Consta nos autos que Raphael Alves Cabral teria, no dia 7 de julho de 2023, injuriado, ameaçado e agredido fisicamente sua esposa Naiara de Fátima Azevedo. A materialidade e autoria dos crimes foram comprovadas por declarações (a qual se atribui especial relevância), bem como por laudo pericial de corpo de delito, ‘lesões corporais’ indireto e depoimentos de testemunhas indiretas do fato. Isto posto, promovo o indiciamento de Raphael Alves Cabral pelos delitos previstos nos artigos 147 e 129, do Código Penal Brasileiro, e artigo 5, inciso III, da lei 11.340/06”, afirmou em documento a delegada Caroline Matos Barreto, da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM), em documento que o jornalista teve acesso.

O escritório da advogada Maria Luíza Póvoa Cruz informou que o processo tramita em segredo de justiça, por isso não pode comentar a decisão. A reportagem também procurou Raphael, mas não teve retorno.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo